Reese Witherspoon no Rio

Share Button

Foto: Christiano Rubin

Começar o dia olhando para a cara de uma atriz lindona como a Reese Witherspoon numa tela de cinema, sessão fechada para a imprensa, já não é pouca coisa; poder vê-la ao vivo e a menos de três metros de você é mais <3 ainda – e eu nem sou fã dela. Como todos já devem saber, a atriz veio para o Rio divulgar o lançamento de seu novo longa “Guerra é Guerra” – que estreia dia 16 de março e é muito divertido, by the way! (Veja a crítica do filme aqui). Hoje, dia 9 de março, ela contou um pouco sobre suas experiências numa coletiva de imprensa, no Cinépolis Lagoon, na Lagoa, e eu tive o prazer de presenciar sua boniteza – sério! Ela é linda!

Antes de começar a contar como foi, prometo que tentarei ser breve já que ninguém gosta de ler textos gigantes na internet. Ninguém nunca lê até o final mesmo. 😉 *olhar acusatório e fofo se é que isso é possível*

Fiz duas perguntinhas básicas e adorei as respostas. Quando perguntei sobre roteiro, falas e como ela gostava de trabalhar, ela me disse que “grande parte dos diálogos é improviso, principalmente em comédia; eles até seguem a base, mas a conversa espontânea acaba sempre ficando mais natural”. Morri de rir quando Reese comentou que a Chelsea Handler nem deve ter lido o roteiro. Muito bom!

Não sei muito bem o que eu esperava escutar com a segunda, mas resolvi perguntar o que definia sua decisão para trabalhar ou não em um filme. Tudo bem que a resposta óbvia é dinheiro, mas como eu sabia que ela não ia responder isso mesmo, pelo menos alguma coisa interessante poderia acontecer; e apesar de a resposta ter saído em vários veículos na internet, o conteúdo em si não foi muito além do esperado. Para ela depende de quem tá trabalhando no filme, se é um assunto interessante… O filme “Guerra é Guerra”, por exemplo, é um filme que ela aceitou fazer principalmente porque nunca participara de um filme de ação, além da comédia que, obviamente, não é nenhuma novidade em sua vida e tinha certeza que ia ser divertido.

No mais, achou supimpa trabalhar com Tom Hardy e Chris Pine (é sério dona Witherspoon?); disse que o Rio de Janeiro é o paraíso e que ela se encontrou aqui (#euri); que o Brasil tá explodindo esse mercado com interesse nos filmes e tem tudo para crescer ainda mais; quer MUITO trabalhar num filme de terror; acha uma péssima ideia colocar o próprio nome do Google, mas acaba o fazendo; escolheu ser mãe a maior parte do tempo e não se arrepende das escolhas; e terminou admitindo que não presta atenção nas críticas, pois acredita que todo filme tem seu propósito, seja para divertir, ganhar o Oscar, ser conhecido mundialmente e ganhar bons reviews (espertinha você, hein, miss legally blonde!).

E eu, no final dos 50 minutos de coletiva, não tinha nenhum comentário mental, inteligente ou jornalístico a fazer, com exceção do básico pensamento – típico feminino, talvez – sobre o decote do vestido dela. Do qual não vou compartilhar virtualmente. Afinal, tenho uma reputação a zelar. 😉

Apesar dos recentes fatos que escutei de uma amiga sobre ela, achei-a uma fofa. Ou Reese é uma excelente atriz ou bipolar mesmo. Vai saber…

Confira as fotos de Christiano Rubin!

no images were found